segunda-feira, 14 de novembro de 2011

MARATONA DO PORTO

"But it ain't how hard you hit; it's about how hard you can get hit, and keep moving forward. How much you can take, and keep moving forward. That's how winning is done." Rocky Balboa
O quilómetro 30 bateu-me com força. O quilómetro 35 bateu-me com mais força ainda. Nada que não estivesse à espera, não tinha feito os treinos longos necessários. Agora vamos lá saber: quanto aguentas apanhar e seguir em frente?
Já ao quilómetro 20 eu tinha percebido que, se calhar, já não estou muito bem: sem qualquer motivo aparente, parei o meu cronómetro. Dei conta na passagem da meia-maratona que o relógio estava parado e lembrei-me que, antes de procurar um cubo de marmelada, efectivamente, tinha carregado no botão stop. Porque é que eu fiz isso? -Não faço a mínima ideia.
E por pensar no cubo de marmelada: tenho de arranjar um novo cinto de hidratação para a maratona, o que tenho já está fora de validade e além disso não é muito prático.
A partir do quilómetro 38 não foi fácil, a dor e o sofrimento chegaram para se instalarem e só ficaram para trás quando cortei a linha da meta. As sensações vividas foram semelhantes às da primeira maratona, a alegria e felicidade de ter completado esta maratona, apesar de ser sempre especial completar uma maratona, esta teve outra magia, não sei se pela camisola (oferta de aniversário: "tamanho M, de mágica"), ou se pelo dorsal 459, a verdade é que me senti especial. Consegui chegar ao fim, e no fundo é isso que interessa. Não consegui baixar das 3h20m nem melhorar a marca do ano passado, porém gostei da minha prestação e de mais uma vez ter participado na Maratona do Porto.
Depois foi o abraço à Ana C., que esperou por mim mais que o combinado, a ida a uma praia de Matosinhos para um mergulho recuperador (ainda "esfolei" o pé numa rocha) e a viagem de volta à terrinha. Este ano não houve tempo para a francesinha...
Um agradecimento especial à organização da maratona, com o reconhecimento que fazem um trabalho fantástico e melhoram todos os anos. Parabéns a todos.
459*3h26m56s

sábado, 17 de setembro de 2011

pentecostes

«A nossa vida é uma incerteza. Um cego que revolteia no vazio em busca de um mundo melhor cuja existência é apenas uma suposição.»
Virgínia Wolf

Faltam 50 dias para a Maratona do Porto. A incerteza de estar presente continua, apesar de já ter feito a inscrição.
Os treinos não vão bem na medida do planeado e são mais corridas para libertar a alma e o espírito que treinos para preparar o corpo. »Depois de algum tempo de corrida o sangue não chega ao cérebro tão bem, a mente deixa de pensar em coisas colaterais para se dedicar às funções vitais: é preciso que o coração continue a bater e os pulmões a processar oxigénio, neste patamar a alma vai ficando mais leve e os pensamentos tornam-se "profundos".
Bons treinos e boas corridas.
Be strong, aguenta-te sempre!

quinta-feira, 18 de agosto de 2011

MARATONA DO PORTO - SEMANA ZERO

Todos os anos por esta altura, desde 2007, a cena repete-se: começo a treinar para a maratona do Porto; e todos os anos o principal objectivo é este: estar presente na partida da maratona. Acho que este é sempre o objectivo mais difícil: porque as corridas da vida podem "obrigar" a não passar pelo Porto; também há as lesões (que é o que mais me assusta).
Depois de correr os últimos 195 metros da primeira maratona, o objectivo "chegar ao Fim" fica para 2º plano, porém é sempre um grande objectivo e o mais nobre. Este ano, como objectivo mais saliente, tenho este: chegar à meta antes do cronómetro mostrar 3h20m. Até lá vou seguir uma espécie de plano de treino, feito por mim, baseado em: corrida continua; jogos de corrida (fartlek, séries, escadas, rampas); corrida longa com vários ritmos; numa base de 4/5 treinos semanais.
Por agora o resumo da semana zero, já com menos um treino do que o previsto devido a uma pequena lesão: cravei uma tacha enferrujada na planta do pé (é o que dá andar na rua à Tom Sawyer).

SEMANA ZERO (8 a 14AGO)
2ª - 56'20'' CC
3ª - 1h03'58'' CC
4ª - 1h03'58'' Rps
5ª - Descanso
6ª - 1h33'07'' CC
S. - Descanso forçado
D. - Descanso

Há um pequeno pormenor que pode afectar toda a minha preparação: desde 7 de Novembro de 2010 que não faço uma corrida acima das 2h e no sábado este "teste" foi adiado por mais uma semana.
Boas corridas.

terça-feira, 10 de maio de 2011

ainda não

Não vou à maratona que me tinha proposto, principal motivo: falta de preparação. Adio para mais tarde. 
No passado dia 30 de Abril participei nos 20Km de Lausanne e o tempo ficou pelas 1h42m, tinha apontado para as 1h40, mas as subidas deram cabo de mim. Contudo foi uma boa corrida, voltei a sentir toda emoção do ambiente que rodeia as provas, na companhia dos meus dois irmãos e 20Km de pessoas a puxarem por nós. Espectáculo.
Espero continuar a participar em provas mais curtas e lá para Novembro voltar à maratona.
Boas corridas.

terça-feira, 29 de março de 2011

Próxima

Não sei se poderei estar presente, de qualquer maneira vou treinar para 15 de Maio, agora que o joelho já me ganha total confiança. Até lá tenho 1 mês e 15 dias.

Bons treinos, boas corridas.

sábado, 26 de fevereiro de 2011

Recuperado! Digo eu, cheio de esperança.

Estou de regresso às corridas.
Depois dos 20 dias o regresso não me correu muito bem, as dores no joelho voltaram a aparecer e temia o pior.  Desesperei um pouco, achei por bem esperar mais um pouco até nova corrida, que aconteceu duas semanas depois em Mafra na companhia do grande amigo. A coisa fez-se: 35 minutos numa corrida lenta. As dores felizmente não apareceram.
Agora é preciso ir com calma para a recuperação total. Esta semana já corri 50' na segunda-feira, 60' na quarta sempre em ritmos mais ou menos baixos e controlados com uma joelheira elástica. Hoje, já sem joelheira e num ritmo já mais rápido, corri 60' e nada de especial e de anormal se passou com o joelho, o que me leva a pensar que o problema está resolvido.
Claro que a má forma geral é evidente: uns quilos a mais e alguma tosse no fim resultado também dos cigarritos que fui fumando durante este tempo em que estive "no estaleiro". A prioridade agora é abandonar os cigarros e, com calma, alcançar uma forma que me permita pensar melhor em novas corridas (maratonas, bem entendido).
Também andei um pouco afastado dos blogues, por várias razões, a principal foi a falta de internet aqui no sítio do gato amarelo, que até parecia a casa do nunca, nunca mais cá chega a internet...
Mas a net já cá chegou e eu já actualizei as minhas leituras.
Boas corridas.