quarta-feira, 28 de abril de 2010

as dificuldades incentivam...

Já o ano passado fiz este treino: transformar a meia-maratona dos bravos numa maratona-treino. A filosofia é simples: partir 2h antes da meta em direcção à partida e esperar chegar lá a tempo de voltar à meta com os concorrentes habituais.
O ano passado este treino correu na perfeição. Este ano a preparação está um pouco diferente: no sábado vou estar mais cansado, é que na sexta-feira ainda tenho previsto um treino de quase 2h em mata (no Monte Brasil), por isso não espero ter a mesma performance do ano passado 1h34m na prova propriamente dita.

Este mês não foi muito famoso em termos de treinos. “Faltei” a três treinos planeados e encurtei meia dúzia de quilómetros dois longões. Por isso vou avaliar com um suficiente o mês, ou seja, fiz apenas o mínimo que eu penso ser necessário para acabar o grande objectivo.

Na segunda-feira deparei-me com a mensagem deixada pelo tartaruga. Tarde para uma corrida... Não nos conhecíamos pessoalmente. Talvez nos voltemos a encontrar na meia da areia, com mais tempo para a conversa.

Boas corridas.

sábado, 17 de abril de 2010

já está feito: catorze oito mil.

Até pareceu uma brincadeira de crianças.
O Português é o 10º homem a conquistar as 14 montanhas acima dos oito mil metros sem recorrer a oxigénio artificial nem a carregadores de altitude.
O homem é uma máquina.

terça-feira, 13 de abril de 2010

cerejeiras em flor

No passado Domingo, aproveitando o facto de me encontrar por terras da beira, e seguindo uma dica do Mota, apresentei-me para correr 10Km do Fundão até às Donas. O dia estava bom, perfeito para a prática, o ambiente ia aquecendo ia metendo conversa com alguns companheiros de corrida e ia cumprimentando outros que conhecia de alguns anos atrás quando corria por estas bandas mais amiúde.

A prova lá começou e por entre subidas e descidas, paralelo e alcatrão lá cheguei às meta com o impressionante tempo de 40’12’’ quando apontava para completar os 10Km propostos pela organização num tempo a rondar os 45 minutos. Primeira observação: espectáculo! Segunda observação: espera lá, não chega aos 10Km, ainda faltam uns 400m…

Apesar desse desfasamento entre o meu polar e o anunciado, foi uma boa prova.

No fim havia umas bifanas para todos: Atletas, Betetistas, Caminheiros, acompanhantes e penetras.

E realmente as cerejeiras são muito lindas em flor.







Apesar de eu gostar mais desta vista:





Todas pra mim….

terça-feira, 6 de abril de 2010

Spiridon

Já sou assinante da revista. Recebi ontem os dois números deste ano e um bónus: uma SPIRIDON já com uns anitos largos onde vem relatada a experiência do Professor Mário Machado nos 100Km de Santander.
Depois de ter lido um par de artigos destas revistas, cheguei a esta conclusão: tenho de alterar o meu plano de treinos. Nunca será para fazer os 100Km na casa das 8h, mas para fazê-los na casa das 12h...
E fiquei fascinado com as revistas: porque é que eu ainda não era assinante?

quinta-feira, 1 de abril de 2010

nove semanas e meia

Eu sempre gostei deste filme. Se calhar tem qualquer coisa a ver com a idade com que o vi pela primeira vez... Tenho a vaga idéia que ele foi nomeado para: pior filme e pior argumento. Apesar disso tenho um DVD deste filme que embora nomeado para estes prémios é um clássico e está ao lado de outros clássicos como "O Último Tango em Paris".

Mas o título não tem nada a ver com o filme: faltam nove semanas e meia para os 100 Km de Bienne. É altura de mais um balanço da preparação: Fiz todos os treinos planeados, estou a conseguir correr 5 dias por semana, embora os km que deveriam ter aumentado estas duas últimas semanas, na verdade diminuíram do planeado em 20 km. Dois motivos que eu vejo nesta diminuição: o principal foi a desmotivação (temporária) causada pelo cancelamento da Maratona Carlos Lopes; o outro motivo foi o aparecimento de uma pequena dor no tendão de Aquiles direito.
Vou auto-avaliar e dar 17 valores para este mês de Março. Este mês de Abril o fundamental é aumentar a quilometragem, uma maratona para aferir a preparação vinha a calhar, mas na falta vou continuar a ouvir e sentir as sensações que as minhas pernas me dão. E têm sido boas.
Boa Páscoa. Boas corridas. Boas sensações.